quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Uma noite no Sarau do Binho - Campo Limpo.

...no dia 9 desse mês – noite de segunda feira chuviscante - ameaça de alagamento paulistano; eu fui rever o Sarau do Binho - altura do número 4 mil da Estr. do Campo Limpo.

...fácil, uma travessa: rua Dr. Avelino Lemos Júnior, 60 - próximo ao Habbib’s e a Uniban, onde o Sarau se repete a seis anos.

...fui saber como andam aqueles amores.

...quanto a região - distrito de Campo Limpo - segundo o site wikipedia ( http://pt.wikipedia.org/ )...

...parece que "originou-se da Fazenda Pombinhos, em meados de 1937.

Várias colônias de japoneses, italianos e portugueses se estabeleceram na região, devido ao preço baixo dos terrenos (na época).

Por volta de 1950, a paisagem do distrito era ainda de muitas fazendas, chácaras e olarias”; que beleza!
...“a primeira linha de ônibus foi criada em 1963, ligando o distrito ao Arouche, centro de São Paulo (pra quem não conhece) - cerca de 20 km..."

Hoje, acredito que com mais de 200 mil habitantes.

...ainda segundo o site “os primeiros moradores, em sua maioria de origem pobre e migrante (principalmente do interior de São Paulo e das Regiões Nordeste e Sul do Brasil), foram se estabelecendo a partir das décadas "60 / 70"; tudo sem o planejamento necessário”.

É mais ou menos assim que nos diz o site.

...bem - eu abri esse prefácio porque procuro entender como 100 pessoas, em plena segunda feira chuvosa – noite cabulosa - distante do badalado "centro nobre da cultura paulistana” - se espremiam/espremem-se-as-segundas-feiras para refletir, ler e ouvir poesia, com tanta intensidade.

...e isso não acontece só porque, a partir da década de 90, o distrito venha sendo alvejado pelo interesse imobiliário das classes "média” e “média alta” - que avançam democratizando a literatura, enquanto se espalham por todos os cantos;

...mas também porquê já acontecia uma contra partida no sentido inverso: na reação das comunidades ávidas por inclusão, na busca pelo entendimento-realidade-de-todas-as-coisas, na dedicação-infantaria-ao-combate diário - em desvantagem - sofrido - rumo-ao-respeito mútuo que proporciona a paz, garantia de tranquilidade social; refletida ao compartilhar essa voz poderosa de expressão: O texto.

...diz ainda o site que “segundo dados da Secretaria Municipal de Habitação e da subprefeitura":

Na região existem, pelo menos, 237 favelas; com cerca de 183 mil moradores, 80 mil concentram-se no Complexo Paraisópolis, composto pelas favelas Jardim Colombo, Porto Seguro e Paraisópolis, onde 800 crianças estão sem aula.

...dados de um longínquo 2003.

Voltemos ao Sarau do Binho:
-
...que às 20 h abriu com um filme: “Vídeolência” - 60 minutos de reflexão audiovisual proposta por quem vive a periferia. Na cena, o cano de uma arma percorre os corredores da favela.
-
...por Fernando Solidade Soares, Paulo Pucci, Diego FF. Soares, que juntos formam a NCA - Núcleo de Comunicação Alternativa (http://www.ncanarede.blogspot.com/).
-
...e teve lançamento de livro também: O Daniel Fagundes em co-autoria com André Luiz Pereira, nos apresentou "Lágrima Terra", poemas e contos (http://lagrimaterra.blogspot.com/).

Inacreditável que em plena segunda feira – céu em prantos – risco de enchente, distante quebrada do Campo Limpo – estivessem reunidas tantos em busca de qq coisa incomum.

Já tinha visto algo semelhante no Bar do Zé Batidão, o Sarau da Cooperifa.
-
...ainda naquela noite, Binho (Robson Padial) recebeu também o diretor da Poiesis o professor Frederico Barbosa, que oficializou a doação, juntamente com o prof José Luiz Goldfarb (braço direito SPEL: São Paulo um estado de leitores), de uma estante com 285 títulos.

...que beleza, hein, Binho!!

...a Poiesis é uma organização que promove a poesia e a literatura - e que, eventualmente, oferece estágios na área cultural - veja o site ( http://www.poiesis.org.br/),

...esse é o cara: Binho, um multiplicador da poesia.

Os livros são para empréstimo à comunidade. Basta cadastrar o nome, o endereço e pronto: lê um livro hoje, outro amanhã... e assim vai.
-
...o Prof. Frederico Barbosa ( http://fredbar.sites.uol.com.br/ ) acrescentou 4 livros seus à estante do Sarau do Binho: Brasibraseiro, 2004, dele com Antonio Risério; Cantar de Amor entre os Escombros 2002; Na Virada do Século - poesia de Invenção no Brasil, 2007. organização, seleção e notas Frederico Barbosa e Cláudio Daniel e Cinco Séculos de Poesia - Antologia da Poesia Clássica Brasileira, 2003; organizado pelo professor que também recitou, na roda dos poetas vivos e presentes, um de seus poemas que pertence a série Cantar de Amor / Poemas Eróticos:

Noite branca
insônia sem seu corpo
desejo no vazio
frio e chuvoso

hora tanta larga e lenta
sem sono sem movimento

só um som se inicia nesse suspiro
imagem insidiosa e incendiária
esses "ésses" se insinuando
na memória das suas curvas
no sonho silêncio dos seus seios

...e a noite se estendeu magnificamente embalando nossas almas plurais.
-

Um comentário:

Ivan Antunes disse...

o chefe por toda parte e vc comendo pó e letras junto com ele, parabéns!

veja lá que numa dessas segundas estou no binho o melhor sarau da zona sul junto com o melhor pastel,

abração e paz.

ivan.